Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias
Início do conteúdo da página

Notícias

Publicado: Segunda, 23 de Outubro de 2017, 17h33 | Última atualização em Terça, 24 de Outubro de 2017, 17h22 | Acessos: 142

PESQUISADOR NA LISTA DA CLARIVATE ANALYTICS PARA PRÊMIO NOBEL DE QUÍMICA   ESTEVE  NA UFABC NOS ÚLTIMOS 3 ANOS

Anualmente analistas da Clarivate Analytics buscam dados da literatura científica para identificar os Pesquisadores cujos trabalhos podem levar a um Prêmio Nobel.  Estes pesquisadores são considerados os responsáveis pelas principais inovações no mundo e pelas descobertas científicas mais influentes na sociedade. Em um linguajar mais técnico, estes cientistas estão no topo da pirâmide dos trabalhos de maior impacto e mais citados na literatura cientifica (tipicamente ficam entre os 0,1% mais citados). E muitos ganham o Prêmio Nobel por suas contribuições significativas para o avanço da ciência (mais informações em clarivate.com).

Neste ano um dos três pesquisadores que estão nesta lista é o Prof. Georgiy B. Shul'pin (Semenov Institute of Chemical Physics, Russian Academy of Sciences), que juntamente com John E. Bercaw e Robert G. Bergman foram considerados sérios candidatos a ganhar o Prêmio Nobel de Química por seus trabalhos na área de funcionalização de ligações C-H. Para mais informações, por favor, ver https://clarivate.com/2017-citation-laureates/ e arquivo anexo.

Prof. Shul'pin tem uma longa parceria com os Prof. Dalmo Mandelli e Prof. Wagner A. Carvalho do CCNH e esteve nos três últimos anos na UFABC, com apoio da CAPESministrando inclusive em 2016 uma disciplina no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia/Química (Curso: Ativação de gás natural e hidrocarbonetos derivados do petróleo utilizando complexos de metais de transição).

Os pesquisadores Mandelli e Carvalho da UFABC possuem, em coautoria com o famoso pesquisador,  vários artigos publicados em revistas científicas internacionais e trabalhos em congressos especializados todos na área de funcionalização de ligações C-H, a temática escolhida com uma das de maior impacto na Química.

Reações envolvendo a ativação de ligação C-H, como por exemplo, a oxidação seletiva de compostos orgânicos, é importante para um grande número de processos industriais, que vão desde a síntese de fármacos a produtos de química fina. Com o objetivo de se obter rotas sustentáveis é fundamental desenvolver catalisadores que sejam capazes de promover a síntese dos produtos desejados de forma eficiente, minimizando-se a geração de substâncias tóxicas. Recentemente o grupo de pesquisa obteve excelentes atividades na oxidação de alcanos, alquenos e álcoois usando sistemas catalíticos baseados em diferentes metais e água oxigenada como oxidante (um dos oxidantes mais limpos de verdes da química). Os resultados sugeriram uma potencial aplicação na oxidação de produtos naturais existentes em grandes quantidades no Brasil, como terpenos (limoneno), acetol (derivado do glicerol e um dos principais subprodutos na cadeia do biodiesel) e do próprio biodiesel.  Apenas para se ter uma ideia da importância da pesquisa, estes sistemas catalíticos podem ser aplicados na valorização de derivados de petróleo (o Brasil, com o pré-sal, possui um das maiores reservas do mundo). E na área de produtos renováveis e biorefinerias, o grupo da UFABC juntamente com o Dr. Shul'pin, tem pesquisado a valorização de limoneno, que é um subproduto da casca da laranja. Em 2016/2017, o Brasil foi responsável por cerca de 40% da produção mundial de laranjas (49,6 milhões de toneladas / ano), sendo o Estado de SP o principal produtor (cerca de 70-80% da produção nacional é em SP). Atualmente, os resíduos sólidos da produção de laranja não são totalmente utilizados, levando a quantidades significativas de resíduos que apresentam um risco significativo de contaminação de água em lençóis freáticos e, em alguns casos, à produção descontrolada de metano. Portanto, é de grande importância econômica, ambiental e social converter esses resíduos sólidos em produtos de alto valor agregado.

                                                                            

registrado em:
Fim do conteúdo da página